Publicidade

Publicidade
30/06/2006 - 20:01

Duas perguntas à Petrobras

Compartilhe: Twitter

A divulgação dos projetos cinematográficos contemplados com verbas do Programa Petrobras Cultural neste ano deixa duas grandes dúvidas:

1) Dos 27 longas-metragens selecionados, 16 são do Rio de Janeiro – ou 59% do total. A idéia de cotas por região seria absurda, o critério de mérito dos projetos é o melhor possível, e 48% das inscrições vieram do Rio. Mesmo levando tudo isso em conta, não seria mais prudente evitar tamanha concentração de recursos em um único estado?

2) O projeto “As pelejas de Ojuara”, do produtor Luiz Carlos Barreto, foi contemplado pelo comitê do programa em uma nova categoria, a Homenagem Especial, concedida pelo conjunto da obra e pela contribuição à cultura brasileira. No ano passado, Barreto reclamou publicamente dos critérios de escolha da Petrobras, que, segundo ele, estaria promovendo uma “pulverização” dos recursos em projetos sem possibilidade comercial. Ainda que a importância histórica de Barreto como produtor seja inegável, a escolha da Petrobras não corre o perigo de ser visto como um generoso cala-boca?

Para este blog, a resposta para ambas as perguntas é “sim”.

Autor: - Categoria(s): Posts Tags:

Ver todas as notas

1 comentário para “Duas perguntas à Petrobras”

  1. Francisco disse:

    Sim, tem que calar a boca de Barreto, caso contrário a pequena-burguesia esquerdista pecha o governo Lula de stalinista, o PFL (ex-ARENA…) pecha de facista, e a imprensa declara que há uma “a maior crise institucional da República”. A única maneira de governar (governar bem ou governar mal) é subornando essa cambada de capitão-hereditário e sesmeiro que prefere governar o deserto a submeter-se ao regime republicano, ou seja, à Lei. Iluminismo, aqui, é pós-modernidade.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo