Publicidade

Publicidade
23/11/2006 - 19:16

Lá se vai o bonachão Philippe Noiret

Compartilhe: Twitter

Em pouco mais de uma semana, lá se vão três ícones do cinema. Depois dos norte-americanos Jack Palance e Robert Altman, agora é a vez do grande ator francês Philippe Noiret, que morreu hoje aos 76 anos em Paris, vítima de um câncer.

De certa forma, ele representava o oposto do vilanesco Jack Palance. Ele foi a encarnação cinematográfica do bonachão e do bon vivant – uma faceta que era facilitada por seu rosto de cão farejador, seus olhos ternos e bochechas caídas.

Apesar de ser um símbolo do cinema francês, alguns de seus maiores sucessos em uma carreira de mais de 130 filmes podem ser encontrados no cinema italiano: “A comilança” (1973), “Meus caros amigos” (1975), “Cinema Paradiso” (1988) e “O carteiro e o poeta” (1994).

Como Marcello Mastroanni, seu colega em “A comilança”, Noiret dava a impressão de um ator natural, que não fazia nenhum esforço para interpretar. E como Altman, que nos deixou anteontem, ele se despede em um grande momento. Seu atuação em “Pais, filhos & etc.”, sucesso nos cinemas de arte brasileiros neste ano, é um dos pontos altos de sua carreira.

Autor: - Categoria(s): Posts Tags:

Ver todas as notas

4 comentários para “Lá se vai o bonachão Philippe Noiret”

  1. Rodrigo disse:

    Vai fazer falta. Em “Pais, filhos e etc” ele estava ótimo msm. E “Cinema Paradiso” é um dos filmes mais memoráveis da minha infância.

  2. Kamila disse:

    “Cinema Paradiso” foi o primeiro filme que assisti que me lembro me emocionou muito. E muita dessa emoção veio da interpretação de Phillippe Noiret. Uma perda irreparável!

  3. Alba disse:

    De fato, fará muita falta. Sua cara de buldigue bonachão e seu talento serão difíceis de substituir..

  4. Alba disse:

    buldogue, digo.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo