Publicidade

Publicidade
09/07/2007 - 14:51

Não vi e não gostei

Compartilhe: Twitter

No blog Talking Pictures, o crítico Michael Phillips, do jornal “Chicago Tribune”, levanta uma boa discussão sobre um tema delicado: filmes que nos fazem sair do cinema antes do final da sessão – seja por raiva, tédio ou qualquer outro motivo.

Primeiro, Philips cita seus títulos renegados: “Forrest Gump”, “O expresso da meia-noite”, “O ano do dragão”. Depois, seus colegas de redação fazem o mesmo e falam mal de “Barry Lyndon”, “Cães de aluguel”, “Sangue de pantera”. Discordo de todas as escolhas: para mim, os filmes vão do passável (“Forrest gump”) ao brilhante (“Barry Lyndon”). Mas aí entramos na estranha seara dos gostos e dos recalques.

Confesso que saí no meio de pouquíssimos filmes na minha vida – algo que considero uma espécie de sacrilégio. Muitas vezes deixei namoradas mais impressionáveis me esperando no saguão (a última delas foi em “Irreversível”). Por outro lado, acho perfeitamente desculpável dormir em certos filmes.

Puxando pela memória, o primeiro filme que me fez debandar foi “Afogando em números”, de Peter Greenaway. E a soneca inaugural no cinema aconteceu em “O homem da linha”, de Jos Stelling – filmes de dois velhos queridinhos da Mostra de São Paulo. E quanto a você, caro leitor, qual foi o filme que te afugentou e o que te adormeceu?

Autor: - Categoria(s): Posts Tags:

Ver todas as notas

89 comentários para “Não vi e não gostei”

  1. lia disse:

    “o apanhador de sonhos” tbm não é nenhum Red Bull…

  2. Ainda não aprendi a abandonar o barco no meio da tormenta (um filme que desgostei, no caso), mas teve um filme em particular que dormi, e muito: A Leste de Bucareste. Também aconteceu em Boa Noite, Boa Sorte, mas esse não merecia (era cansaço mesmo).

    Um abraço!

  3. Deco disse:

    Ricardo,

    Confesso que não aguentei ver “Spider” até o final.

    Mas inesquecível mesmo foi ver muita, mas muita gente saindo da exibição do sensível filme mexicano “Vermelho rubro” (por não aguentar ver o assassinato de uma criança) e um pai arrastando uma criança do cinema logo na primeira cena do Wong Kar Wai “Felizes juntos” num festival (uma cena de sexo entre dois homens).

  4. Deco disse:

    Ah sim… eu dormi durante a sessão inteira de “Mulheres à beira de um ataque de nervos” e de “O carteiro e o poeta”. Estava muito cansado… revi os filmes e gostei.

  5. Brother Sam disse:

    Dormi em “Elizabeth”, “Um Crime Perfeito”, “Tróia” e “Armagedon”. Saí no meio de “Bruxa de Blair 2” e “Impacto Profundo”. Ultimamente tenho tomado cuidado de não assistir roubadas como estas.

  6. Hannibal e A Mexicana são dois exemplos relativamente recentes.

  7. Felipe disse:

    Nunca saí no meio de um filme. Mas me lembro de ter dormido em dois, por coincidência de um mesmo, do qual até gosto (Oliver Stone): “JFK” e “Torres Gêmeas”.

  8. waldisio araujo disse:

    Luiz Antonio Ryff, o único filme em que eu realmente dormi foi o Crônica de uma Morte Anunciada, e não precisei esperar o filme chegar a metade. Acho que até ronquei. Ao acordar, ainda tentei assistir ao resto mas não consegui… então levantei e fui embora.

  9. hilda disse:

    eu acho otimo meu fiho adora e ele tem 28 e adora ver sempre que esta chatiado ele ve e se acalma

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo