Publicidade

Publicidade
02/08/2007 - 12:41

Ave de mau agouro

Compartilhe: Twitter

Nos comentários da nota sobre a morte do Antonioni, o leitor Fabio Negro mandou o seguinte recado: Imaginem um desastre aéreo como o da da TAM, mas cujos 200 e tantos passageiros fossem cineastas e roteiristas brasileiros. Seria um susto, mas… seria uma perda?

 Ouso discordar mais uma vez do meu leitor mais fiel. Correndo o risco de citar muitos cineastas vivos, aí vai minha lista pessoal de diretores brasileiros que fariam enorme falta ao cinema: Nelson Pereira dos Santos, Eduardo Coutinho, Júlio Bressane, João Moreira Salles, Karim Ainouz, Beto Brant, Tata Amaral, Sérgio Machado, Laís Bodanzky, Andrea Tonacci, Carlos Reichenbach, Guel Arraes, Cao Hamburger, Domingos Oliveira, Fernando Meirelles, Hector Babenco, Joel Pizzini, Jorge Furtado, Kiko Goifman, Luiz Fernando Carvalho, Maurice Capovilla, Ricardo Elias, Walter Salles – além dos muitos que certamente esqueci.

Não há um Antonioni ou um Bergman na lista. Mas há um Coutinho e um Bressane. Pode não dar um Airbus, mas é muito mais que um Legacy.

Autor: - Categoria(s): Posts Tags:

Ver todas as notas

27 comentários para “Ave de mau agouro”

  1. confetti disse:

    po calil, esqueceu karim ainouz !!!

  2. . flávio . . disse:

    é triste, mas vc realmente fez um esforço… não restaram muitos a citar….

  3. Fabio Negro disse:

    Calil, vou retirar o que disse e concordar com você.

    Sim, seria uma perda. Grande, até.

  4. rafael laete disse:

    é claro que seria uma enorme perda. são muitos diretores e filmes brasileiros bons demais para a gente poder dizer que fariam MUITA falta.

  5. Fabio Negro disse:

    Não são MUITO, não. MAs alguns citados realmente são grandes, e mesmo que não passem da mediocridade na maior parte do tempo, ainda carregam a esperança de apresentar um grande filme, mais dia ou menos dia.

    Tô vivendo de esperança.

  6. Kathy Rushing disse:

    Google is the best search engine Google

  7. John Johns disse:

    Google is the best search engine Google

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo