Publicidade

Publicidade
27/05/2008 - 19:36

Festa do interior

Compartilhe: Twitter

A Filme B, empresa especializada em números do mercado de cinema no Brasil, publicou um ranking das cidades mais “cinéfilas” do país (só para assinantes do boletim, confira aqui). Para ser mais exato, daquelas que detêm os melhores índices de ingressos vendidos per capita. O resultado é surpreendente: as cidades do interior, especialmente de São Paulo, ficaram com os primeiros lugares na lista, desbancando as principais capitais brasileiras.

 

A campeã é Campinas, com 2,31 ingressos comprados por habitante ao ano. Depois dela, vêm Santos (2,23), Niterói (2,15), Vitória (a primeira capital do ranking, com 1,99), Florianópolis (1,98), Barueri (1,93), Porto Alegre (1,69), Ribeirão Preto (1,67), Taboão da Serra (1,60) e Curitiba (1,57).

 

Maiores metrópoles do país, São Paulo (1,14) e Rio de Janeiro (1,27) fizeram feio no ranking, ficando respectivamente na 27ª e 14ª colocações. Na verdade, o Brasil como um todo deixa a desejar nesse quesito. Um ou dois ingressos por morador ao ano é um número pífio, sob qualquer ponto de vista.

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:

Ver todas as notas

8 comentários para “Festa do interior”

  1. Será que é por isso que cinema no Rio e em SP é tão caro? Pra compensar os ausentes no valor na bilheteria?

    brincadeira, claro. Mas fica o protesto quanto ao valor dos ingressos nessas duas capitais ;)

  2. Celio disse:

    Eu penso que é por causa dos ingressos caros, da pirataria, e as salas de cinema que não tem o mesmo glamour de antigamente.

  3. Luciano S. Ramalho disse:

    É uma pena que as pessoas trocam a magia de uma sala de cinema por dvd´s piratas de péssima qualidade, creio que o fato de Rio e São Paulo estarem tão mal é o valor do ingresso e a “fartura” de dvd´s piratas, se é crime por que insistir em algo que fere a lei, é uma pena, nesse país as leis só funcionam a base dos interesses e do dinheiro, eu amo cinema e nunca vou deixar de asssitir por ex. “Indiana Jones” na telona e trocar pelo lançamento que já está na banquinha, de depender de mim, essa raça morre de fome.

  4. Ariovaldo disse:

    Sr. Luciano S. Ramalho:
    A minha opinião é que o seu comntário foi infeliz.
    O Fato de termos essa “raça”vendedo dvd’s piratas, na realidade deles, estão ganhando seu pão sem precisar roubar do seu semelhante.
    Não será dando “carteiradas” nos pobres, que vamos resolver o problema social deste país.

  5. renatinha disse:

    É que o povo da cidade grande tem mais o que fazer uai sô…má que cinema é baum isso é.Beijin
    =]

  6. Te disse:

    A Filme B poderia pesquisar a média do preço dos ingressos nas cidades. Aqui no Rio tem uma rede, Cine Show, que pôs o preço lá embaixo: de segunda a quinta o ingresso chega a R$3. Oporém é que só passa blockbuste. Será que em Campinas tem cinemas com preço igual?

  7. Harpia disse:

    Sr Ariovaldo,

    Os vendedores de DVD pirata (concordo que “raça” é um pouco demais) estão roubando do seu semelhante sim.
    Estão roubando do semelhante que trabalha na indústria cinematográfica, do semelhante que trabalha na indústria fonográfica, etc …
    E se formos levar em conta os diversos fatores que tornam o preço do ingresso caro, não podemos nos esquecer também dos “espertos” que compram carteiras de estudante falsificadas para poder pagar a meia-entrada.

  8. Harpia disse:

    Ah, e já ia me esqucendo: se estão achando que a média de ingressos anual per capita é baixa, é por que vocês ainda não viram a de livros lidos em um ano …

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo