Publicidade

Publicidade
27/07/2008 - 21:27

O operário-padrão do cinema

Compartilhe: Twitter

Difícil determinar quem é o melhor trabalhador do cinema hoje. Mas o maior deles, em termos quantitativos, é sem dúvida no Judd Apatow, considerado o novo rei da comédia americana. Com a estréia de “Quase Irmãos” neste final de semana e de “Pineapple Express” no próximo, ele terá assinado nada menos do que dez filmes em apenas dois anos, como roteirista, diretor ou produtor.

 

A maioria deles foi bem nas bilheterias, como “Ligeiramentes Grávidos”. Outros fracassaram, como “Meu Nome é Taylor, Drillbit Taylor”. A média de risos por filme no caso de Apatow sempre é alta. Mas nenhum deles superou “O Virgem de 40 Anos” (2005), a obra-prima do cineasta. Apatow já mandou avisar que vai diminuir o ritmo. Neste ano, só pretende realizar mais um filme, “Funny People”, que pretende dirigir.  

 

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:

Ver todas as notas

8 comentários para “O operário-padrão do cinema”

  1. Fabio Negro disse:

    Ele é o meu novo John Hughes.
    Não são só as gags, mas as tramas e os diálogos.

    Daqui a uns 5 anos ele só vai estar fazendo obras de arte, uma atrás da outra.

  2. renatinha disse:

    E bota obra prima nisso!

  3. Hein? disse:

    Vocês têm certeza que acham o cara esta coisa toda?!?! “O virgem de 40 anos” tem clichês pessimamente explorados, até os irmãos farrelli fariam coisa melhor.

  4. Pedro de Oliveira disse:

    Gags aieuhiaehe! AU RAITI!

  5. Fabio Negro disse:

    Puta, chegou a turma dos Cahiers!

    Vai, falem aí do Jerry Lewis…

  6. Guille disse:

    “O Virgem de 40 Anos” foi a obra prima do sujeito? Não quero nem imaginar como são os fracassos então. O virgem… não é uma comédia, é uma espécie versão dramática de porky’s…

  7. Hein? disse:

    Alguém “inventou” o Apatow nos EUA e todo mundo aqui come mosca atrás… Péssimo mesmo! Se o Apatow faz filmes maravilhosos, o “Borat” então é um Chaplin!

  8. Fabio Negro disse:

    O Virgem de 40 anos tem a conversa sobre sexo durante o poker, tem a cantada na livraria, a cena do “sabe como eu sei que você é gay?” e o musical no final.

    Ligeiramente Grávidos tem umas 15 cenas tão boas quanto, incluindo a eterna e maravilhosa imitação do Robert De Niro pelo Paul Rudd.
    “Heeeey! In THIS shoes?”

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo