Publicidade

Publicidade
20/08/2008 - 00:40

Câmera lentíssima

Compartilhe: Twitter

Certo, as Olimpíadas de Pequim são um espetáculo até aqui – dado pelos chineses na abertura e pelos atletas do mundo todo na competição (não vamos falar do futebol masculino brasileiro…). Mas houve alguma novidade nas transmissões pela TV? Até agora eu só identifiquei uma: a câmera lentíssima usada nos jogos do vôlei de praia – como o que acabou há pouco entre Márcio/Fábio Luiz e Ricardo/Emanuel. Bem mais desacelerada que a câmera lenta comum, ela permite ver detalhes impressionantes das jogadas – como um único dedo balançando no ar em uma tentativa de bloqueio ou o desenho que um pé faz na areia em uma defesa, quase como Neo desviando das balas em “Matrix”.

 

É um caso pouco comum em que a tecnologia altera toda a compreensão de um jogo. Eu li que são equipes brasileiras que estão fazendo as transmissões do vôlei de praia até para os Estados Unidos, por causa do know-how adquirido em anos de domínio no esporte. Não sei se a câmera lentíssima está incluída no pacote nacional. Se estiver, os câmeras brasileiros estão fazendo bonito, ao contrário dos nosso jogadores de futebol… Não teve jeito, falei.

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:

Ver todas as notas

3 comentários para “Câmera lentíssima”

  1. É verdade, o comitê organizador da Olimpíada contratou a Globo pras transmissões do vôlei de praia. As imagens são oficiais, geradas pro mundo inteiro.

    A super câmera-lenta tem sido usada no atletismo também, mas geralmente com uma diferença maior em relação ao momento ao vivo. No vôlei-de-praia a coisa é quase instantânea, boa mesmo.

  2. felipe disse:

    já foi usada na eurocopa também, há alguns meses atrás.

  3. Anderson disse:

    Faltou comentar o telão “touch screen” que a TV Globo vem tentando usar nas transmissões. Um show de “tilts” fascinante. Só falta chegar o dia em que um apresentador vai dar uns bons socos naquilo de tanta raiva.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo