Publicidade

Publicidade
27/09/2008 - 12:30

O golpe de mestre de Paul Newman

Compartilhe: Twitter

Com seu rosto de beleza clássica e seus olhos azuis, Paul Newman poderia ter sido apenas um grande galã. Mas ele sempre fez questão de representar contra seu tipo e deu preferência a personagens desajustados, rebeldes, fracassados. Esse foi o golpe de mestre de Newman. Ele tornou-se, assim, um dos melhores atores da história do cinema. E, por isso, sua morte de câncer aos 83 anos representa uma das maiores perdas recentes de Hollywood.

Seu primeiro grande papel veio de um acaso trágico: ele substituiu James Dean, morto em um acidente de carro em 1955, no papel de um boxeador desfigurado no telefilme “The Battler”, adaptado da obra de Ernest Hemingway. Mas no começo ele foi comparado negativamente a outra lenda da época, Marlon Brando, por fazer uma versão um tanto maneirista do famoso Método de interpretação do Actors Studio.

Rapidamente, Newman refinou seu trabalho e tornou-se um ator maduro, atingindo uma performance notável em “Desafio à Corrupção” (1961) como Fast Eddie Felson, um jogador de sinuca fracassado (na foto acima). Ele ganharia seu primeiro Oscar 26 anos depois em “A Cor do Dinheiro” (1987), fazendo o mesmo papel, mas agora como o mentor de Tom Cruise. Foi uma das grandes injustiças de Hollywood: seu desempenho no primeiro filme era bastante superior, assim como em vários outros trabalhos de sua carreira.

No total, Newman foi indicado 10 vezes ao Oscar (nove como ator, uma como produtor), ganhando apenas uma estatueta competitiva – além de duas honorárias. Algumas de suas interpretações mais marcantes vieram em parceria com Robert Redford, a dupla mais espetacular do cinema americano dos anos 70, como em “Butch Cassidy e Sundance Kid” (1969) e “Golpe de Mestre” (1974).

Como escreveu o “New York Times” no obituário de Newman, ele criou nesses filmes uma das maiores personificações do homem “cool” da história do cinema . Uma imagem que ele transportou também para sua vida real – com um dos casamentos mais estáveis de Hollywood (com a atriz Joanne Woodward), uma conhecida aversão a badalações, uma carreira bem-sucedida como piloto de automóveis e um trabalho sério de caridade feito com o dinheiro arrecadado com sua marca de molhos e pipocas. Pela talento como ator e a integridade como pessoa, Newman fará muito falta.

Autor: - Categoria(s): Uncategorized Tags:

Ver todas as notas

22 comentários para “O golpe de mestre de Paul Newman”

  1. jose ferreira disse:

    Sou fã de carteirinha de todos os seus filmes.Lembro-me muito bem do primeiro deles que eu tive o prazer de assistir:
    “Somebody up there likes me”, cujo título aqui no Brasil foi “Marcado pela sarjeta” ao lado de Anamaria Pierangeli, baseado na vida do grande pugilista ítalo-americano e campeão mundial Rocky Marciano.
    Nunca me esqueci.
    Grande ator e grande figura humana.

  2. Carlos J disse:

    Mais uma estrela fazendo parte da constelação.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo