Publicidade

Publicidade
20/01/2009 - 00:06

Como o cinema elegeu um presidente

Compartilhe: Twitter

Quando Barack Obama tomar posse hoje, a “culpa” não será de seus milhões de eleitores, mas de um velho conhecido: o cinema. Pelo menos essa é a tese do “New York Times”:

“A vitória de Barack Obama em novembro demonstrou, para a surpresa de muitos americanos e boa parte do mundo, que nós estávamos prontos para ver um negro como presidente. Claro, nós já havíamos visto vários presidentes negros, não na verdadeira Casa Branca, mas na América virtual dos filmes e da televisão. As presidências de James Earl Jones em “The Man”, Morgan Freeman em “Impacto Profundo”, Chris Rock em “Um Pobretão na Casa Branca” e Dennis Haysbert em “24 Horas” nos ajudaram a imaginar a transformadora inovação antes que ele ocorresse. De uma forma modesta, eles também apressaram sua chegada.

(…)

Os filmes da última metade de século dificilmente profetizaram o momento presente, mas eles oferecem intrigantes premonições, imagens esboçadas e às vezes retratos detalhados de homens negros lidando com questões de identidade e as possibilidades do poder. Eles ajudaram a escrever a pré-história da presidência de Obama.”

Descontado algum exagero, a tese do “NY Times” faz algum sentido.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo