Publicidade

Publicidade
18/04/2009 - 22:09

As melhores transformações de lobisomens

Compartilhe: Twitter

Nesta sexta-feira, estreou no Brasil “Anjos da Noite – A Rebelião”, “prequel” da série de horror sobre a batalha entre vampiros e lobisomens que explica o que rolou antes dos acontecimentos dos dois outros filmes.

Não chega a ser uma surpresa que o filme não seja grande coisa – os outros da série também não eram. Mas é estranho ver como são fracas as cenas de transformação de homens em lobisomens – um dos grandes clássicos do gênero de horror. A coisa só piora quando lembramos que o diretor Patrick Tatopoulos é um especialista em efeitos especiais promovido a cineasta.

O filme é uma prova de que o dinheiro e a tecnologia não substituem a criatividade. Para comprovar a tese, vale comparar a mutação dos lobisomens neste filme e em outros do passado. Aqui vai a de “Anjos da Noite – A Rebelião”.

A melhor, para mim, continua sendo a de “Um Lobisomem Americano em Londres” (1981), de John Landis:

Mas o site Monkey Skull prefere esta do filme “The Howling”, feito no mesmo 1981 por outro grande cineasta subestimado, Joe Dante.

Mas nunca se pode dizer que “Anjos da Noite” tem a pior mutação animal quando se lembra da série de TV “Manimal” (1983), em que homens viravam felinos:

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

4 comentários para “As melhores transformações de lobisomens”

  1. Rafael Porto disse:

    Eu não gosto muito de filmes de terror, mas tenho de concordar contigo quando diz que a melhor transformação é a de “Um Lobisomem Americano em Londres”. Este filme me marcou.

    Tive esta mesma discussão com meu pai dia desses, comentando que filmes antigos apostavam em um roteiro mais sombrio, com tramas densas, enquanto os atuais se apoiam apenas em efeitos especiais.

  2. André Veiga disse:

    Sim, sem dúvida a melhor cena de transformação é de “Um Lobisomem Americano em Londres”. MAs não é só isso. O filme é todo um primor, com sua mistura de terror e humor – os diálogos do personagem principal com seu amigo morto são impagáveis.
    Outro ponto que chama a atenção é o uso do som como objeto do terror, principalmente no primeiro ataque

  3. André Veiga disse:

    Outra coisa: Em Manimal, apenas um cara se transformava, e não apenas em felinos. Ele podia virar qualquer animal. Mas a série tinha orçamento apertado, e só foram filmadas as transformações em Pantera e Aguia. Quando o cara virava outro bicho, não se via a transformação.
    Economia de orçamento é isso aí…

  4. Celso Jr. disse:

    Pelo menos, em “Um lobisomem americano em Londres” a bunda do moço é bem bonitinha…

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo