Publicidade

Publicidade
24/05/2009 - 12:08

Antiprêmio para o “Anticristo”

Compartilhe: Twitter

Essa eu  nunca vi. O Júri Ecumênico do Festival de Cannes, que todo ano premia no evento filmes que celebrem valores espirituais, decidiu pela primeira vez dar um “antiprêmio”. O homenageado não poderia ser outro: “Anticristo”, de Lars von Trier.

O trabalho – que, entre outras cenas, mostar um clitóris sendo cortado com uma tesoura velha – foi definido pelo Júri Ecumênico como “o filme mais misógino do autoproclamado maior diretor do mundo”. Em um comunicado, o cineasta romeno Radu Mihaileanu, disse que Von Trier estava sugerindo com seu filme que “as mulheres deveria ser queimadas na fogueira para que os homens possam finalmente se libertar”.

O diretor do festival, Thierry Fremaux, reagiu de maneira igualmente forte: “Foi uma decisão ridícula que beira a censura, ainda mais vinda de um júri ‘ecumênico’ liderado por um cineasta”.

Na minha opinião, tá todo mundo viajando: o Júri Ecumênico provavelmente fez o que Von Trier queria (criar mais polêmica em torno do filme), e Fremaux não faz ideia do que a palavra censura significa.

Ah, sim, o prêmio oficial do Júri Ecumênico foi para “Looking for Eric”, de Ken Loach. Mas quem irá se lembrar disso?

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

2 comentários para “Antiprêmio para o “Anticristo””

  1. fábio disse:

    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………….Sério..?
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………..Júra….?
    …………………………………………………………………………………………………………
    ……………….Qui tal você traduzir isso que você escreveu,….
    …………………………………………agóra?
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………………

  2. André Veiga disse:

    Ué, por que o meu comentário foi apagado?

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo