Publicidade

Publicidade
29/05/2009 - 22:08

É o fim da Blockbuster?

Compartilhe: Twitter

Nos anos 90, a Blockbuster era vista como uma espécie de McDonald’s do aluguel de vídeo, o gigante imperialista que iria esmagar as pequenas locadoras de bairro de todo o mundo. O que dez anos não fazem… Hoje, a empresa parece estar com os dias contados.

Os preços de suas ações despencaram 90% em dois anos. Ela foi apontada como uma das 15 companhias que podem não chegar ao final do ano pelo site usnews.com. No mês passado, sua direção anunciou que talvez não consiga cumprir suas obrigações financeiras. E, no Brasil, as locadoras da rede foram engolidas pelas Lojas Americanas.

Em meio ao caos, o presidente da empresa, Jim Keyes, anunciou ontem seus planos para salvar a Blockbuster: entrar no ramo do aluguel de games online e encher as pratelerias de DVD com merchandising dos filmes – como os óculos dos Homens de Preto. Algo me diz que não vai ser o suficiente.

Como pergunta o blog de cinema do jornal inglês “The Guardian”, quem ainda vai a uma Blockbuster hoje? Com DVDs baratos à venda em lojas (e, por aqui, em camelôs) e filmes que podem ser baixados na internet, quem ainda se move até uma loja, percorre os corredores, vai ao balcão e retorna 48 horas depois para devolver o DVD? Bom, eu ainda vou, mas não sei por quanto tempo…

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

50 comentários para “É o fim da Blockbuster?”

  1. Kelli Rovai disse:

    Eu era socia da Blockbuster só que com os preços simplismente abusivos que eles praticavam, eu resolvi me filiar a uma outra locadora aqui na cidade onde moro sou de Santos Litoral paulista essa nova locadora me ofereçe como serviços eu poder reservar no site dela o filme que eu quero, escolher dia e hora que quero ver o filme e recebe-lo em minha casa, alem de poder ficar uma semana com o filme e depois ligar para que venham busca-lo, e só pago pelo serviço R$ 2,50 pelo aluguel dos DVD’S de catalogo e R$ 5,5o pelos lançamentos ou seja tenho preço baixo e serviços de primeira sem sair de minha casa bastam somente alguns poucos cliques. por isso já está fechando tarde essa locadora ai quem quer ganhar muito nas custam dos outros
    tem mais é que se ferrar.

  2. Eduardo OF disse:

    Sempre gostei da Blockbuster dos tempos que era parte das empresas do Moreira Salles. Lembro das espaçosas lojas com ar condicionado, cheirinho de pipoca, parecia sala de cinema, e os lançamentos sempre existiam em abundância. Era um passeio alugar os filmes e claro, todo o servliço agregado tinha um preço. Paga-se pelo que se leva…era isso ou “acampar” na frente das pequenas locadoras para pegar os lançamentos. Defendo isso porque todas as alternativas de hoje são ilegais, como baixar filmes ou comprar pirata, mas enfim, o brasileiro sempre foi o “esperto”, talvez seja por isso que os artistas brasileiros não sejam renomados internacionamente e a produção artística aqui seja basicamente de “populixo”. Pena que a LASA destruiu um conceito de uma loja aconchegante para torná-las pontos de venda de varejo, com cosméticos e outras quinquilharias. Pena mesmo…

  3. GERALDO disse:

    INFELIZMENTE ESTE CORPORATIVISMO MALDITO QUE EXISTE ENTRE AMBULANTES PIRATAS E ALGUMAS AUTORIDADES QUE SAO PAGAS PELO DINHEIRO PÚBLICO, PARA COMBATER ESTE COMÉRCIO CANCERÍGENO QUE É A PIRATARIA, FAZEM JUSTAMENTE O CONTRÁRIO, DEIXA QUE ELES PRATIQUEM ESTA ILEGALIDADE A OLHOS VISTOS DEIXANDO O PODER PÚBLICO DE ARRECADAR MILHOES E MILHOES DE REAIS EM IMPOSTOS QUE SERIAM REVERTIDOS EM HOSPITAIS , ESCOLAS, SANEAMENTO, REMÉDIOS, MAS NAO VAI SAIR NEM UMA COISA NEM OUTRA , POIS O DONOS DE LOCADORAS NO BRASIL QUE NAO ERAM POUCAS, FECHARAM SUAS PORTAS POR CAUSA DESTE MALDITO COMÉRCIO ILEGAL. TOMARA QUE ESTAS PESSOAS UM DIA NAO VENHA PRECISAR DO DINHEIRO DOS IMPOSTOS QUE AS PREFEITURAS E ESTADOS DEIXAM DE ARRECADAR AO LONGO DOS ANOS. MALDITOS.

  4. Lu disse:

    Como dona de locadora ainda acredito que nós locadora ditas “de bairros” ainda vamos caminhar … Ainda existe pessoas que não colaboram com o crime … não compram piratas e não tem paciencia de baixar filme na net … qua aliás é um verdadeiro desculpa a palavra” saco”.
    Ainda temos muito coisa boa pra oferecer ao cliente que procura um filme , um documentario de qualidade com imagem e som perfeitos.
    Ir a video locadora ainda é um ótimo programa …pq além do filme se encontra amigos e o velho papo do balcão .. ainda acredito nisso, amizade, respeito.
    Hoje o mais importante é ser maleável com o cliente ser amigo além de tudo … isso ainda funciona.

  5. As locadoras de bairro sobrevivem. E bem. Cobram no máximo R$ 5,00 por filme – 3 filmes na sexta, devolve só na segunda.

    Não tem no estoque filmes “difíceis”, fora de circuito comercial. Mas atendem bem o público a que se destinam. Estão sempre cheias nos finais de semana e várias fazem boas promoções durante a semana também.

    E, quando os filmes extras que compram nos lançamentos deixam de atrair interesse, colocam a venda – coisa que a Blockbuster também faz. Mas por preços bastante convidativos: Comprei Carros, da Disney/Pixar por R$15,00. Quando na época ele ainda custava R$ 29,90 nos grandes magazines.

    Quanto a pirataria… Basta vender barato que mata o mercado informal. Coisa que acaba acontecendo quando o filme “envelhece”. Comprei “Superman o Retorno” no lançamento por quase R$50,00. Já o vi em promoções à R$12,00. Fizessem um meio-termo, ganhariam mais no volume. Ou o público vai conseguir de outra forma.

  6. Cristiano Estolano disse:

    Kalil e amigos,
    Boa noite!

    Quando eu tinha 20 e poucos anos, tentei uma vaga para trabalhar na Blockbuster (pouco depois da chegada deles aqui no RJ) – uns dez / doze anos atrás…

    O processo era semelhante ao de uma dessas empresas de plano de saúde… o pagamento era por hora (não me lembro quanto, mas era baixo)… Tinha que cortar o cabelo baixo (máquina 1) e estar sempre de barba feita… E quem mantinha era o Unibanco (os Moreira Salles, como já dito), tanto que eles só tinham lojas perto de agências do banco-purgatório mencionado…

    Como já tinha segundo grau completo, fui admitido com louvor, como uma espécie de supervisor, mas na semana da entrega de documentos, quebrei um dedo e me livrei dessa roubada…

    Aqueles que frequentaram a empresa, foram associados, podiam comentar, mas o processo seletivo da época me parecia semelhante ao McDonalds…

    Abs e que meus ex-quase colegas se arrumem rapidinho…

  7. Bebowie disse:

    Além de todos os itens acima ainda temos o crescimento de locadoras on line como a NetMovies (quem ja morou nos EUA conhece a Netflix, então…ela trabalha do mesmo jeito!) dá pra alugar os filmes pela internet, o motoboy leva em casa…tem um acervo gigaaaaante e ja começaram com blu ray…nossa sem comparação muito melhor do que sair de casa e ir até a locadora, nem sei mas o que eh blockbuster ahauhaiua

    ahhh e eles nao cobram frete pela entrega, nem multa…da pra ficar com o DVD o tempo que quiserrr!

    eh sensacionalll

  8. max disse:

    realmente esta de desanimar o seguimento de locaçao de dvds ,,, INFELIZMENTE estamos perdendo a batalha por causa da pirataria , INTERNET tambem , JA estava na hora das distruidoras de filmes em dvds abaixarem seus preços para dar folego as poucas locadoras q ainda estao tentanto sobreviver diante dessa grande injustiça , INFELIZMENTE , VAO pensar nisso qdo o barco ja estiver bem la no FUNDÃO mesmo …. INFELIZMENTE no brasil é assim . ..

  9. edi bezerra disse:

    bom nao sou contra a pirataria.a pirataria no brasil e uma forma de sair da carga tributaria abusiva,metade ou mais da metade do que e pago por 1 produto legal vai para o governo serve para pagar senadores acesores vereadores deputados e uma infinidade de outros custos governamentais

  10. João Renato disse:

    a locação tambem prejudica o mercado, quem diz que quem compra o pirata deixa de comprar o original, bem, quem aluga tambem deixa de comprar, ou seja, a locadora compra um filme, e aluga o mesmo para 1000 a 2000 clientes, ou seja, d[á praticamente na mesma para quem é contra a pirataria, os donos dos filmes (os estúdios) proíbem até empréstimos em advertencia expressa.

    antes da internet tinha o vídeo-cassete, que gravava do mesmo modo, e, a diminuição das salas de cinemas, por exemplo se deu com a popularização da locação (década de 1990, onde perdemos centenas de salas de cinemas para os crentes) e agora, com a internet, o numero de salas só aumentou, fora que não dá para comparar assistir num filme “ripado” convertido, com qualidade inferior, com a imagem do filme original na tela do cinema.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo