Publicidade

Publicidade
27/06/2009 - 22:30

Um homem, uma mulher e um rato

Compartilhe: Twitter

“A Erva do Rato” é um dos filmes mais acessíveis do cinema de Julio Bressane. Há nele uma trama clara, inspirada muito livremente em dois contos de Machado de Assis, e um humor que está longe de ser hermético. Um homem (Selton Mello) abriga uma mulher (Alessandra Negrini) em sua casa, os dois iniciam um jogo de sedução que é perturbado pela aparição de um rato no local. Mas, como de hábito na obra do cineasta, a trama é o menos importante. O fundamental é o tempo, a luz, a palavra – e como os três se relacionam. O tempo estendido de cada plano permite a fruição de cada enquadramento, de cada frase, de cada sentimento experimentado pelos personagens. O absoluto domínio do cineasta sobre esses elementos torna possível que o triângulo amoroso que se forma entre o homem, a mulher e o rato seja crível. Torna sensual uma sequencia de amor entre uma mulher e um rato. Torna aceitável que essa cena esteja em uma adaptação de Machado de Assis. “A Erva do Rato” comprova mais uma vez que Bressane está a alguns anos-luz da média dos cineastas brasileiros.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

6 comentários para “Um homem, uma mulher e um rato”

  1. Eron disse:

    Outra bobagem de Bressane, Depois de Cleópatra não perco mais tempo e dinheiro.

  2. João Luis disse:

    Uma pena que eu não esteja em condições físicas para ir ao cinema. Quando estiver, provavelmente esse filme já terá saído de cartaz. O problema é encontrar o filme nas locadoras.

  3. Cristiano disse:

    Cleópatra é um filme acessível. E péssimo.

    Tem um lugar cativo na minha lista de “piores filmes que já assisti”, junto a Adrenalina (Albert Pyun), Dungeons & Dragons (Courtney Solomon) e Outras Estórias (Pedro Bial).

  4. “O tempo estendido de cada plano permite a fruição de cada enquadramento, de cada frase, de cada sentimento experimentado pelos personagens” – porque minha interpretação desse texto se resume a um único adjetivo? CHATO.

    Mas o filme pode ser bom apesar disso.

  5. Kamila disse:

    Pena que filme como esse, dificilmente, chegam nos cinemas da cidade aonde moro.

  6. Marcos disse:

    Não existe outro ator de cinema no Brasil além de Selton Mello?

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo