Publicidade

Publicidade
13/11/2009 - 23:13

“De Profundis” viaja ao passado da animação

Compartilhe: Twitter

miguelanxo

Em meio a estreias espetaculosas, como “2012” e “Aconteceu em Woodstock”, a modesta produção espanhola “De Profundis” vai provavelmente passar despercebida. Mas é um filme que merece um pouco de atenção, por ter uma proposta radicalmente artesanal, que remete aos primórdios da animação.

Seu diretor é Miguelanxo Prado, um dos principais ilustradores e autores de graphic novels da Espanha. Ao longo de cinco anos, ele criou 10 mil pinturas e desenhos e uniu-os para criar “De Profundis”. É um filme de enorme beleza, de ritmo lento, de efeito quase hipnótico.

A trama gira em torno da história de amor entre uma violoncelista, que vive em uma casa cercada pela água, e um pintor, que decide embarcar em um navio pesqueiro para melhor desenhar o habitat marinho. Quando o barco naufraga, ele é resgatado por uma sereia e inicia uma jornada mar adentro.

“De Profundis” lembra vagamente a obra do mestre japonês Hayao Miyazaki, em sua construção de um universo onírico particular e em seu método artesanal de produção. Mas o filme de Prado talvez seja ainda mais radical na decisão de priorizar a experiência sensorial do que a narrativa.

Se você gosta de animação, mas quer descansar os olhos da hiperatividade infanto-juvenil da maioria dos desenhos atuais, “De Profundis” é uma bela pedida.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

7 comentários para ““De Profundis” viaja ao passado da animação”

  1. Thales disse:

    Muito interessante o filme e seu post.
    Quero muito ver.
    ^^

  2. luana disse:

    De Profundis é maravilhoso…

  3. disse:

    É o filme do Mussum.

  4. Maurício Veneza disse:

    Se a animação estiver à altura da obra de Miguelanxo em quadrinhos, vale a pena ver uma, duas, dez vezes. Mas imagino que seja dificílimo encontrar um cinema onde esteja em cartaz…

  5. luana disse:

    Vi uma chamada no Metrópolis …

  6. Lady Norton disse:

    Não teria visto não fosse o seu psot. Tive uma ezxperiência extraordinária. Obrigada.

  7. Francisca Vargas Carneiro do Prado disse:

    Acabei de assistir no Telecine. É simplesmente maravilhoso. Um sopro de delicadeza e beleza. Lindo.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo