Publicidade

Publicidade
31/01/2010 - 22:03

“Zumbilândia” é salvo por uma ponta de Bill Murray

Compartilhe: Twitter

“Zumbilândia”… O título promete um filme bem mais descartável do que ele realmente é. Ou pelo menos um filme que lide com bem menos inteligência com a própria descartabilidade. Primeiro longa de ficção de Ruben Fleischer, “Zumbilândia” é um “terrir”, mistura de humor e horror, bastante divertido e esperto, que sabe brincar com os muitos clichês dos filmes de zumbi.

No início do filme, ficamos sabendo que uma epidemia transformou quase todos os americanos em zumbis. O tímido protagonista Columbus (Jesse Eisenberg) foi um dos poucos sobreviventes, graças a uma lista de regras para se salvar dos ataques dos zumbis.

Ao viajar para a casa dos pais, ele acaba se juntando com outros três sobreviventes: o truculento Tallahassee (Woddy Harrelson), a bela Wichita (Emma Stone) e sua irmã adolescente Little Rock (Abigail Breslin). No meio do caminho, Columbus começa a se preocupar menos com os zumbis do que com a própria inabilidade social, obstáculo para conquistar Wichita.

O mérito de “Zumbilândia” é fazer um pastiche de gêneros – comédia juvenil, filme de zumbi, romance de iniciação – que nunca se leva a sério. Mas há um efeito colateral nessa escolha: não dá para acreditar em seus inofensivos zumbis, o que acaba neutralizando o horror do filme.

Em compensação, há uma cena antológica que coloca o filme em um patamar superior à média do gênero: a sequência em que os quatro sobreviventes se encontram com o comediante Bill Murray, no papel dele mesmo. Não dá para contar muito o que acontece, mas dá para afirmar que é uma dos momentos cômicos mais sofisticados e hilários produzidos pelo cinema recente.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

6 comentários para ““Zumbilândia” é salvo por uma ponta de Bill Murray”

  1. daniel disse:

    Poxa Ricardo, o filme é salvo por uma ponta do Bill Murray é uma chamada que não condiz com o seu texto. O conteúdo do seu texto está perfeito, o filme é realmente divertido, mas a chamada do texto leva a entender que o filme é fraco e só tem essa cena com o Bill Murray que o salva. Sugestão: rever o título da chamada do texto.
    Abraços !

    • Flávia disse:

      De fato, esse título confunde. O filme faz muito bem o que se propõe a fazer.

  2. Zilceano disse:

    Gostei e concordo, so acho aceitavel os zumbis serem meio galhofa, o filme foge daquele titpico filme de zumbis, e se prende na regra ensinada pelo Tallahassee, aproveite as coisas simples da vida.
    Acho que valeu, o filme seria 80%humor e 20%terror.
    E com certeza a parte o Bill Murray, com certeza e a melhor…

    Sucesso

  3. Filipe disse:

    Nao eh o objetivo do filme ser assustador… Eh uma comedia e acredito que cumpre muito bem o seu papel como filme para entretenimento… Critico acha que filme bom eh so aquele drama chato e longo…

  4. Felipe Martinelli disse:

    a cena do Bill Murray é ótima… ele faz comédia consigo mesmo de um jeito que outros astros de Hollywood não conseguem

    mas o Woody Harrelson contra o exército de zumbis no parque de diversões é marcante de tão “badass”

  5. gu disse:

    Realmente a parte de Bill Murray é perfeita! huahuahuauha Do início ao fim da participação!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo