Publicidade

Publicidade
03/04/2010 - 23:02

Três filmes rejuvenescem o cinema brasileiro

Compartilhe: Twitter

Nesta sexta-feira, estreou “Os Famosos e os Duendes da Morte”, de Esmir Filho. Em duas semanas, será a vez de “As Melhores Coisas do Mundo”, de Laís Bodanzky. No ano passado, foi “Apenas o Fim”, de Mateus Souza. Os três filmes somados ajudam a revigorar a ideia de um cinema jovem no Brasil.

Dois dos diretores são estreantes com idade próxima a seus protagonistas: Mateus lançou seu filme com 21 anos; Esmir tem 27. Laís já tem a maturidade de quatro longas, mas consegue manter a energia de iniciante. Em “Chega de Saudade”, seu filme anterior, ela mergulhou no universo da terceira idade e veio à tona com um belo filme. Em “As Melhores Coisas do Mundo”, ela aborda os adolescentes e volta com um filme ainda melhor.

O fato de cada um dos diretores ter uma visão de cinema completamente distinta só torna as coisas mais interessantes. A força de “Apenas o Fim” se baseia nos diálogos, em especial nas tiradas cômicas e nas referências pop. Como já foi dito, Mateus é um descendente artístico de Domingos Oliveira, Woody Allen, Quentin Tarantino e Richard Linklater, entre outros.

Já “Os Famosos e os Duendes da Morte”, assim como os curtas de Esmir, é um exemplar de cinema sensorial, baseado menos nas palavras do que nas atmosferas, na combinação de texturas de imagem e de som ora oníricas ora fantasmagóricas. Nesse sentido, ele se aproxima da obra do americano Gus Van Sant (“Elefante”, “Paranoid Park”).

E “As Melhores Coisas do Mundo” é cinema narrativo de qualidade, em que Laís mostra a evolução de um estilo que tem como pontos fortes o equilíbrio entre os atores amadores e profissionais e o cuidado com o roteiro e a mise en scene.

Mateus, Esmir e Laís conjugam o desejo de diálogo com o público com a afirmação de uma autoralidade discreta, conseguem chamar a atenção do espectador sem subestimar sua inteligência. Numa cinematografia em que essas idéias são geralmente vistas como incompatíveis, seus filmes são uma experiência alentadora.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

5 comentários para “Três filmes rejuvenescem o cinema brasileiro”

  1. […] Souza. Os três filmes somados ajudam a revigorar a ideia de um cinema jovem no Brasil. Dois dos . Continuar a Ler » « Chico Xavier (2010) Os comentários estão abertos, mas os pings não são […]

  2. abel disse:

    ricardo como faço para achar em dvd filmes como starman,eles vivem,sexy e marginal, barco das ilusoes.

  3. Welington Liberato disse:

    Acrescente à lista Antes Que o Mundo Acabe que dizem ser excelente e Sonhos Roubados, de Sandra Werneck. Ambos estréiam ainda nesse semestre.

  4. Severino Seixas disse:

    Menos né. Novo Gus Van Sant? Novo Wood Allen? Baixa a bola cidadão.
    Falta só um infinito pra que isso se concretize.

  5. Mr. Oliver disse:

    Para as pessoas interessadas em conhecer melhor o trabalho da banda sul-matogrossense ‘Sheriff Billy Joe’, interprete da música ‘Identificado’ – abertura da trilha sonora do filme ‘As melhores coisas do mundo – é só acessar o site http://www.palcomp3-sheriffbillyjoe e conferir o perfíl e canções inéditas deste grupo percursor do atual ‘pop rock pantaneiro’.
    Mr. Oliver

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo