Publicidade

Publicidade
29/05/2010 - 22:06

Dennis Hopper foi o rosto da contracultura no cinema

Compartilhe: Twitter

O motoqueiro Billy de “Sem Destino”, o dublê Kansas de “The Last Movie”, o fotógrafo de “Apocalypse Now”… Dennis Hopper, que morreu neste sábado de câncer na próstata aos 74 anos, foi o homem que deu um rosto à contracultura no cinema americano.

Hopper pertencia à linhagem de atores que se confundem com seus personagens. Portanto, se ele deu um rosto à contracultura, foi porque ele a viveu intensamente – ou, pelo menos, viveu intensamente um de seus pilares: as drogas.

Dirigido e protagonizado por Hopper, “Sem Destino” (1969) – que se tornou um ícone do movimento hippie – foi o primeiro filme de sucesso a mostrar em detalhes o consumo de cocaína. E foi nas suas filmagens que Hopper entrou de vez no vício da droga – que mais tarde quase o mataria e o tornaria um pária em Hollywood.

“The Last Movie” aprofunda a confusão entre ficção e realidade. Com US$ 1 milhão em mãos, Hopper vai ao Peru com um grupo de hippies e faz um filme psicodélico sobre… a realização de um filme fracassado. Apesar de um prêmio importante no Festival de Veneza, foi um fracasso.

Em “Apocalypse Now” (1980), ele faz o fotógrafo que se embrenha na selva para fotografar o dissidente coronel Kurtz e acaba por adorá-lo como um Deus. O personagem parece estar chapado o tempo todo – e não devia ser diferente com Hopper. O diretor Francis Ford Coppola revelaria depois que o ator era incapaz de decorar suas falas.

Em meados dos anos 80, Hopper largaria as drogas, faria seu melhor papel como o degenarado de “Veludo Azul” (1986) e tentaria recuperar o tempo perdido aceitando praticamente todo papel que lhe oferecessem nas três décadas seguintes – o que significava às vezes até seis filmes por ano.

Nos últimos tempos, Hopper acabou se especializando em papéis de vilão, em filmes como “Velocidade Máxima” e “Waterworld” e séries como “24 Horas”. Para uma Hollywood cada vez mais careta, fazia todo sentido o ex-hippie, o velho pioneiro da contracultura, terminar seus dias como um homem mau.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

2 comentários para “Dennis Hopper foi o rosto da contracultura no cinema”

  1. […] Hopper pertencia à linhagem de atores que se confundem com seus personagens. Portanto, . Continuar a Ler » « Especial Adaptções de quadrinhos violentas Os comentários estão abertos, mas os […]

  2. kylderi disse:

    Lembro-me dele no filme Reborn, sobre um pastor picareta.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo