Publicidade

Publicidade
09/09/2010 - 22:56

Mimo de Olinda se une aos grandes festivais do país

Compartilhe: Twitter

Existe uma certa inflação de festivais no Brasil. Mas poucos são essenciais. A Mimo (Mostra Internacional de Música em Olinda) se tornou rapidamente um deles. O evento reúne vários ingredientes que fazem a diferença: boa programação gratuita, o que democratiza o acesso à cultura; organização competente; espaço para a reflexão e, a formação do público – e, talvez mais importante, uma personalidade.

No caso de Olinda, isso vem da geografia, da arquitetura, da história e dos moradores da cidade pernambucana. O evento vira uma festa popular voltada para uma cultura não vista tradicionalmente como popular. Lembra outros belos festivais em cidades coloniais: os de cinema de Tiradentes e Ouro Preto, em Minas, e a Flip de Parati.

Na Mimo deste ano, que aconteceu de 1 a 7 deste mês e chegou também a Recife e João Pessoa nessa sétima edição, eu tive o prazer de ver o grande pianista americano de jazz McCoy Tyner tocar, no auge de seus 72 anos, na belíssima e histórica igreja da Sé, cujo entorno é um dos lugares mais bonitos do Brasil, com sua vista para o Recife. Na sequência, havia um show ao ar livre de Tom Zé, na não menos imponente Praça do Carmo. E isso foi só um exemplo do que o festival ofereceu.

Neste ano, a Mimo ainda contou com sua primeira mostra paralela de cinema, com nada menos do que 28 filmes dedicados à música. Numa cidade com pouca oferta de cinema, o público lotou as sessões no Mercado da Ribeira e agüentou até as fortes rajadas de vento no Alto da Sé para não sair no meio de um filme.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

4 comentários para “Mimo de Olinda se une aos grandes festivais do país”

  1. fernanda d´oliveira disse:

    mimo é uma mostra de música: mostra internacional de música de olinda. grande espaço para a músia instrumental, principalmente a clássica.

  2. fábio disse:

    …………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………….Bacana,
    ……………..nem sabia que existia este festival de Olinda.
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………………..E concordo que este negócio de festival
    …………………………no Brasil virou uma indústria.
    ……………………………………………………………………………………………….
    ……………………………O que eu mais conheço é o
    ……………………………………….. famigerado,
    …………………………………….. “animamundi”
    …………………………………..que serve para os
    ……………………………………….. ‘”diretores”
    ……………………………….fazerem seu pé de meia
    …………………………..com a grana da PETROBRÁS
    …………………..e em conluio com a GLOBO (prá variá),
    ………….saem na foto como os ” MECENAS” da animação
    ………………………………………….brasileira.
    ………………………………………………………………………………………………..
    ……………………Gostaria,..Calil que você fizesse uma
    ………….lista dos “festivais” que você acha mais sérios
    …………………… que realmente estão propondo algo
    ………………………..aos produtores e ao público.
    ……………………………………………………………………………………………….
    ……………………………………………………………………………………………….

  3. henrique disse:

    Muito legal sua matéria , mas só a título de contribuição de um olindense orgulhoso, a sigla MIMO significa Mostra Internacional de Música de Olinda como fica claro no texto, só para reparar. Valeu pelos comentários e pela presença..apareça mais na nossa cidade
    saudações henrique

  4. Prof. roberto zuza disse:

    Parabéns Ricardo Calil, gostei da materia.
    Sabe amigo, na verdade eu sei pouco destes festivais, gostaria de saber mais.
    Um abraço CALIL

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo