Publicidade

Publicidade
24/10/2010 - 20:31

“Lope” confirma Andrucha como cineasta clássico

Compartilhe: Twitter

“Lope” confirma uma impressão deixada pelos longas de ficção anteriores de Andrucha Waddington (a saber, “Gêmeas”, “Eu Tu Eles”, “Casa de Areia”): ele é um cineasta clássico.

Esta é a primeira grande produção internacional de Waddington, falada em espanhol, sobre o poeta e dramaturgo Lope de Vega (1562-1635). Mas a mudança de língua, de paisagem e de escala de produção não altera seu classicismo. Ao contrário, o fato de ser um filme de época acaba reforçando a sensação.

De um diretor que começou muito jovem na publicidade, seria natural esperar certos tiques da atividade, como a edição nervosa – o que se aplica, por exemplo, a Fernando Meirelles. Não, Waddington opta por um estilo limpo, direto… clássico, em particular na decupagem.

O resultado é sempre correto, mas às vezes um tanto frio, talvez até mesmo acadêmico. Outra sensação comum é a de que os filmes variam pouco de tom ao longo da projeção. No caso de “Lope”, usa-se muito a música para dar ênfase a certas cenas, mas ela redunda com as imagens.

Mas vamos também às virtudes: não é mérito desprezível coordenar uma equipe e um elenco com dezenas de pessoas falando outra língua em cenas extremamente complexas e fazê-las trabalhar em conjunto a favor de um resultado digno.

Contam-se nos dedos de uma mão os cineastas brasileiros que conseguem dar conta de um filme de época com uma produção desse porte. Com “Lope”, Waddington junta-se a um time seleto formado por Walter Salles, Fernando Meirelles, Hector Babenco e… Esqueci de alguém?

Para ver os dias de exibição de “Lope” e a cobertura da Mostra, confira o especial do iG.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

2 comentários para ““Lope” confirma Andrucha como cineasta clássico”

  1. fábio... disse:

    …………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………..Calil?
    ………………………………………………………………………………………………..
    ………….Gostaria que você me mostrasse…..aonde,…. no,
    …………………………………………………………………………………………………
    ……………………………….” CIDADE de DEUS”,
    …………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………..estão os,
    ………………………” tíques da edição nervosa ”
    …………………………………da publicidade…??!!
    ………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………
    …………Acho que a Suzana Amaral falou disso na época
    …………………do lançamento do filme,….também…!?
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………..Porém,
    ………………………………………….pra mim,
    …………………………………………………………………………………………………
    ……..o filme é a primeira OBRA PRIMA do cinema nacional.
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………………………………………………………

  2. Miguel disse:

    Não é a primeira, mas com certeza é uma obra prima, ainda não vi o filme do Andrucha, portranto não posso comentar. Mas o cinema é feito de narrativas, isso depende muito do projeto escolhido, eu gosto bastante do dois cineasta e espero que tenhamos mais filme de qualidade. Que graças a cineastas como eles, José Padilha, Daniel Filho e muitos outros que estamos evoluindo e conquistando mais bilheteria.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo