Publicidade

Publicidade
16/12/2010 - 17:19

Blake Edwards emprestou classe à comédia

Compartilhe: Twitter

Não é sempre que se ouve a palavra “sofisticada” depois da palavra “comédia”. Mas, quando a combinação acontece, é inevitável lembrar do nome de Blake Edwards, mestre do cinema americano, que morreu ontem em Santa Monica, Califórnia, aos 88 anos.

Edwards conseguia ser elegante até mesmo no pastelão rasgado da série “A Pantera Cor de Rosa”, no qual conseguiu aproveitar todo o potencial cômico de Peter Sellers, no papel de um desastrado policial francês. Sellars levava tortas na cara, tropeçava em objetos, caía pela janela… mas a sensação era de estarmos vendo um gracioso balé.

Se Edwards se arriscava em um tema delicado – como o transformismo de “Vitor ou Vitória”, protagonizado por sua mulher Julie Andrews -, era certo que ele seria aboradado com… delicadeza. Ou pelo menos a delicadeza possível para uma comédia sobre uma cantora que finge ser um conde homossexual que se passa cantora por uma cantora transformista. Ele não ia para a piada fácil, para a gag grosseira.

E quando Edwards fazia um filme de classe, como “Bonequinha de Luxo” (1961) – e ainda tinha a seu lado uma atriz como Audrey Hepburn e um roteirista como Truman Capote -, você sabia que o filme teria mais classe que qualquer outro feito antes ou depois dele. E descobria que o cineasta tinha uma mão para o drama tão bom quanto a para a comédia.

Edwards não era perfeito, claro. Ele podia errar no conjunto – como em “The Great Race” (1965), “Darling Lili” (1972) ou “Mulher Nota 10” (1979). Mas era incapaz de uma vulgaridade – o que talvez tenha ajudado a explicar o declínio de sua carreira. A partir dos anos 80, ele se tornou um estranho no ninho em Hollywood, que começou a dar preferências a comédias juvenis como “Porky’s” ou “Loucademia de Polícia”.

Para finalizar, uma nota pessoal: em geral, eu acredito que a comédia funciona melhor com escracho do que com finesse. Mas, nesse que é meu gênero preferido, minhas exceções preferidas eram Howard Hawks e Blake Edwards.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

4 comentários para “Blake Edwards emprestou classe à comédia”

  1. fábio... disse:

    ………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………É,

    …………………………” Victor ou Victória ” e ” Totsie ”

    ………foram duas comédias dos anos 80 que eu curti muito.
    ………………………………………………………………………………………………..
    ………………..E realmente o cara era,…FINO,…mesmo…!
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………………………………Mas as comédias do,
    ……………………………………Leslie Nielsen,
    ………………….como você colocou no post de baixo,
    ……………..mais “grosseiras”,…..também eram legais.
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………….E aquela,…Sul Africana,…do indio que quer
    ……levar a garrafa de COCA até o fim do mundo,..lembra?
    ……………………………….( esqueci o nome)
    ……………………………………………………………………………………………….
    ……………………….Também marcou a década…!
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………….Mas ao mesmo tempo,…nenhuma se tornou
    …………….um CLÁSSICO do cinema mundial,…né..?!
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………………..São bons filme,….mas não BATEM,
    …………………………………………nosso,
    ……………………………………….querido,
    ……………………………….CHALIE CHAPLIN.
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………………..Ou mesmo, ……nosso,…..Billy Wildol,
    …………..com por exemplo:…”Cupido não tem Bandeira”
    ………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………….

  2. rodrigo fattori disse:

    “Um convidado bem trapalhão” (“The Party” – 1968), aka O MELHOR FILME DO MUNDO.

    • fábio... disse:

      ………………………………………………………………………………………………..
      ………………………É com o Peter Selers,….né..?
      ………………………………………………………………………………………………..
      ………………….Na época eu era moleque adorei,
      …..mas vendo hoje,…..acho que ela não resistiu ao tempo ……………………………………………não.
      ……………………………………………………………………………………………….
      …………………..Tem muita cena,…….forçada,……..meio,
      ………………………………………………………………………………………………
      …………………………………CARAS & BOCAS.
      ……………………………………………………………………………………………….
      ……………………………………………………………………………………………….
      ……..Não sei se você se lembra de um filme que chamava,
      ……………………………………………………………………………………………….
      ………………………….” DEU A LOCA NO MUNDO ”
      ………………………………………………………………………………………………
      ………………………………era dos anos 70 também.
      ……………Um acidente de carro e a vítma fala sobre uma
      …………………………….FORTUNA que estava num,
      ……………………………………………..” W “.
      ………………………………..Ele fala isso e morre.
      ……………….Aí todos que estavam ali para,…”socorrê-lo”
      …………………….saem que nem locos atrás do tal,
      ………………………………………………” W “.
      ……………………………………………………………………………………………….
      ………………………………..O que eu rí neste filme,
      ………………………cara,…….hoje ele parece filme de,
      ………………………………… SESSÃO DA TARDE.
      ……………………………………………………………………………………………….
      ……………………………………………………………………………………………….

  3. Tyanne disse:

    What liberating knlowegde. Give me liberty or give me death.

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo