Publicidade

Publicidade
17/06/2011 - 11:30

Woody Allen e seus imitadores

Compartilhe: Twitter

Com a estreia de “Meia-Noite em Paris” hoje no Brasil, o velho mistério volta à tona: por que todos protagonistas de filmes de Woody Allen – que não sejam o próprio – precisam imitar Woody Allen?

Já aconteceu com John Cusack (“Tiros na Broadway”), Kenneth Branagh (“Celebridade”), Jason Biggs (“Igual a Tudo na Vida”), Will Ferrell (“Melinda e Melinda”), Rebbeca Hall (“Vicky Cristina Barcelona”) E Larry David (“Tudo Pode Dar Certo”). Agora, em “Meia-Noite em Paris”, é a vez de Owen Wilson.

Será que o cineasta orienta seus atores a repetirem seus tiques e trejeitos? Ou será que os intérpretes já partem do princípio que é isso o que ele deseja? São perguntas que só Allen e os atores podem responder.

Alguns deles já declararam em entrevistas que tiveram liberdade para compor os personagens e que não tentaram imitarar Allen. Não dá para acreditar muito depois de ver o vídeo editado pelo iG com cenas dos filmes citados acima ou este aí abaixo do site FilmDrunk

A Retrospective of Woody Allen Surrogates from FilmDrunkDotCom on Vimeo.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

13 comentários para “Woody Allen e seus imitadores”

  1. fábio... disse:

    …………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………………Calil ?
    …………………………………………………………………………………………………
    …………..E além dos protagonistas se “transformarem ” em,
    ………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………..” semi-Woods “,
    …………………………………………………………………………………………………
    …….muitas vezes as interpretações do elenco são horríveis.
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………….Você assistiu a do Hug Jacman,
    …………………………..com a Scarlet Jorrãnsen..?
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………………….Cara, …é de matá.
    …………………………………………………………………………………………………
    ……………Parece que eles estão brincando de “cineminha “.
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………..Acho que o Wood Allen precisaria fazer
    ……………………uma dupla com um diretor de cinema,
    ………………………………………………tipos,
    …………………………………………………………………………………………………
    ………………ele,… Wood,…. escreve e o DIRETOR,…. dirige.
    …………………………………………………………………………………………………
    ………………………..Eu gosto dele, porém, tem hora
    ………………………………………….que não dá.
    …………………………………………………………………………………………………
    …………………………….É muita forçação de barra.
    …………………………………………………………………………………………………

    • Leandro Carvalho disse:

      Antes de você começar a criticar o jeito como o genial Woody Allen faz cinema, aprenda a escrever.

    • fábio... disse:

      …………………………………………………………………………………………………
      …………………………….” Leandro Carvalho “.
      …………………………………………………………………………………………………
      ……….Será que você poderia indicar um professor de
      ………………………………………Português,
      ………………………………………para mim ?
      …………………………………………………………………………………………………
      …..Sou semi analfabéto e tenho dificuldades com a lingua.
      …………………………………………………………………………………………………
      …………………………………………………………………………………………………
      …………………………………………Agora ?
      …………………………………………………………………………………………………
      …Qui qui tem haver, saber escrever com ” criticar o,.. gênio” ?
      …………………………………………………………………………………………………
      ………………………………………………………………………………………………..
      ………………..Você acha,…” Melinda Melinda “, …genial ?
      …………………………………………………………………………………………………
      ……………..” A rosa purpura do cairo “, você acha genial ?
      …………………………………………………………………………………………………
      ……………….Este filme com o Hug Jacman,….também ?
      …………………………………………………………………………………………………

  2. gilvas disse:

    dammit, calil, boa sacada!

  3. Marcos disse:

    Ué, mas tirando o “primeiro capítulo” do vídeo todas as outras características são ditadas pelo roteiro, não têm nada a ver com interpretação. Não entendi o problema.

  4. Felippe disse:

    que viagem, tá de brincadeira né….

  5. angela disse:

    só sei que ele decaiu muito. Aquele filme em que ele era mágico e a Scarlett era uma repórter, por favor, filme horroroso, jamais diria que era do Woddy Allen

  6. francisco carlos marrocos disse:

    Ricardo Calil, pelo seu “curriculum vitae” você se mostra como muito experiente na crítica de cinema ( alguns dizem: Uma pessoa rodada. ), por não ter visto o filme eu nada posso desdizer, mas sei por exemplo, que perguntado sobre tanto”clicê” Woody Allen teria se defendido: “o objetivo é exatamente esse”, porque pra alguns mais parece impressões de turista americano sobre Paris, estão denominando o filme de “Canto de declaração de amor ã Cidade Luz”, e, também, conta como um de seus protagonistas a primeira-dama CARLA BRUNI. Mas há coisas boas momentos com Hemingway, Scott Fitzgerald, Picasso e Salvador Dalí. Mas só vendo pra uma crítica mais “sopesada”como dizem os cubanos!

  7. dulcemir siqueirq disse:

    Não sei pq, mas tenho a impressão de que este sr Calil tem alguma implicância com o gênio Woody Allen. Já li outros comentários contra os filmes do Woody que não tem nada a ver. Será inveja???

  8. marcos vinicius disse:

    A verdade é que sempre estamos esperando o próximo filme de nosso ídolo !

  9. roberto fonseca disse:

    Sr.Calil, nunca vi um filme sequer de Woody Allen, embora eu seja cinéfilo desde a minha juventude, onde se viam peliculas que valiam a pena ver. Para mim, ele é uma figurinha apagada, sem querer menosprezá-lo, e cheio de manias que eu nunca suportei num ser humano. Estou sendo sincero para o senhor.
    Grato,
    Roberto Fonseca

  10. Renata disse:

    Não concordo que todos os personagens principais dos filmes citados sejam woody Allen no filme. Jason Biggs, por exemplo, contracena com uma personagem “woody allen” (que é feito pelo próprio). Mas Owen Wilson tá muito imitão mesmo…

  11. Suellen disse:

    Não entendi pq a Rebbeca Hall esta na lista das imitações!!! Ela não tem nada de comico e não me lembro dela ter imitado o Woody em cena nenhuma! e por sinal ela era muito normal, diferente dos personagens do woody.
    Mas gostei da critica e até pensei anteriormente em escrever sobre isso!

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo