Publicidade

Publicidade
28/10/2011 - 10:47

Jonas Mekas e seu reality show poético

Compartilhe: Twitter

Em “Histórias da Insônia”, o cineasta Jonas Mekas – lituano radicado em Nova York e mestra do cinema de vanguarda americano – não consegue dormir, pega sua câmera digital e sai por aí filmando encontros com amigos, artistas, familiares e desconhecidos.

Nesses encontros, eles bebem, ouvem música, discutem a importância de Amy Winehouse e filosofam sobre assuntos como a eternidade da alma – todas essas coisas “não-importantes” que o cinema narrativo costuma relegar e que em geral ocupam as transmissões ao vivo, não-editadas, dos reality shows.

Mas por que, então, o resultado de “Histórias da Insônia” é tão mais fascinante que, por exemplo, um “Big Brother” (mesmo acreditando que o programa de TV, em momentos inspirados, também possa produzir seus momentos de brilho)?

Pode-se argumentar que é uma questão de casting. Entre as pessoas filmadas por Mekas, estão as cantoras Patti Smith, Yoko Ono e Björk, o cineasta Harmony Korine, o ator francês Louis Garrel, entre muitos outros.

Mas acho que o essencial é a “gratuidade” daqueles encontros; ou seja, eles não estão ali para vender nada ou para cumprir uma função dentro de um jogo.

Mekas anuncia seu objetivo no início do filme: “eu não vou dormir até ouvir alguma coisa bonita”. Ou seja, há uma troca de um olhar mercantil por outro poético, da visão da máquina pela individual.

E, a partir dessa decisão, Mekas realiza uma inspirada aplicação do chamado “filme-diário”, em que a câmera é usada como uma caneta de anotações pessoais. O resultado é tocante, engraçado, de enorme frescor e originalidade. Nada mau para um cineasta de 88 anos.

“Histórias da Insônia”: hoje, às 16h, no Cine Livraria Cultura; dia 30, às 20h30, e dia 1/11, às 19h50, no Unibanco Frei Caneca; e dia 3/11, às 14h, no Unibanco Augusta. Para a programação e a cobertura completas da Mostra, confira o especial do iG.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

4 comentários para “Jonas Mekas e seu reality show poético”

  1. fábio... disse:

    ………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………….Calil?
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………….Alguma vez você já foi ao cinema e passou um
    ……………………………………..TRAILLER
    …………….super legal de um filme e você fica animado
    ………………………..e volta ao cinema para ver o tal
    ………………………………………….FILME
    …………………………………e é uma DRÓGA ?
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………………Eu estou sentindo um pouco isso
    ………quando leio tuas belas análises sobre os filmes
    ……………………………………………da
    ………………………………….. “AMÓSTRA “.
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………..Lá no fundo de minha´lma vem algo arrepiante,
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………………………………..sussurrando,……
    ………………………………………………………………………………………………
    …………………………………….baxinho,….
    ………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………..” ééé…,
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………………….rooo……..baaaa………daaaaaaaaa ” …….!
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………
    …………Porém, os teus textos estão cada vez melhor,
    ……………………………………Parabéns.
    ………………………………………………………………………………………………

  2. […] os documentários, um dos celebrados desta edição da Mostra é “Histórias da Insônia”, dirigido por Jonas Mekas, lituano octagenário radicado nos EUA. Sem conseguir dormir, o diretor […]

  3. […] os documentários, um dos celebrados desta edição da Mostra é "Histórias da Insônia", dirigido por Jonas Mekas, lituano octagenário radicado nos EUA. Sem conseguir dormir, o diretor […]

  4. […] os documentários, um dos celebrados desta edição da Mostra é “Histórias da Insônia”, dirigido por Jonas Mekas, lituano octagenário radicado nos EUA. Sem conseguir dormir, o diretor […]

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo