Publicidade

Publicidade
27/02/2012 - 09:30

O Oscar não tem sentido

Compartilhe: Twitter

Todo ano é sempre igual. É preciso conferir um sentido oculto e profundo às escolhas aleatórias de 5 mil velhinhos brancos do cinema americano (mais conhecidos como a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood).

Escolhas marcadas por preferências pessoais e lobbies industriais, por “orelhadas” de outras premiações e pela decantação de um certo “bom gosto” médio (que em geral quer se diferenciar do “mau gosto” das bilheterias).

Em 2002, “Moulin Rouge” concorreu a melhor filme no Oscar; no ano seguinte, “Chicago” venceu a categoria principal do prêmio. Foi o suficiente para que fosse decretada uma volta do musical – e, ao longo da década seguinte, (não) esperamos por ela sentados.

Em 2012, a previsível divisão de prêmios entre “O Artista” e “A Invenção de Hugo Cabret” parece comprovar a tese pronta do ano: a de um Oscar nostálgico, em que Hollywood olha no espelho e celebra o cinema do passado.

Se a soma dessas escolhas individuais quisesse dizer algo, a próxima tendência para o inverno cinematográfico seria uma leva de filmes mudos ou sobre pioneiros esquecidos da sétima arte.

Sacha Baron Cohen fazendo o remake silencioso do “O Grande Ditador”, Steven Spielberg resgatando a história perdida de Dziga Vertov, Meryl Streep macaqueando perfeitamente os trejeitos de Mary Pickford.

Talvez seja mais honesto reconhecer que a aparição e o reconhecimento de “O Artista” e “Hugo” em um mesmo ano tenha sido apenas uma coincidência (no caso feliz, já que se trata de dois filmes dignos, embora menos memoráveis que o alardeado).

E admitir que o sentido do Oscar é não ter sentido – algo que a bizarra cerimônia de premiação teima em confirmar, todo ano.

Para a cobertura completa da premiação ocorre neste domingo, confira o especial do iG.

Autor: - Categoria(s): Sem categoria Tags:

Ver todas as notas

8 comentários para “O Oscar não tem sentido”

  1. fabio... disse:

    ………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………..É,
    ………………………………………………………………………………………………..
    ………………..é como dizia minha professora da 4ª série..:
    ………………………………………………………………………………………………..
    ………………….” é muita firula,….prá pouco conteúdo “.
    ……………………………………………………………………………………………….
    ………….Mas nas tuas previsões no tópico anterior Calil,
    ………………………você acertou quase todas,…né.
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………………….O teu ” filling ” prá Óscar esta fino.
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………………….Acho que no final, como os filmes
    ……………………………………..estão todos
    ………………………………………CHÔCHOS,
    ……….é mais legal tirar sarro dos vestidos da mulherada,
    …………………………………………né não.?
    ……………………………………………………………………………………………….
    ……………………Pelo menos a gente dá umas risadas.
    ………………………………………………………………………………………………
    ………………………E o Billy Cristal até que tentou, né,
    ………..mas ele já ta meio enferrujado,…. você não acha?
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………………..É que se não for ele,…vai por quem ?
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………..E o Robert Doney jr. fazendo graça com a
    ……………….super solta Gwenety Patrol …..?……viixi….
    ……………………………….Qui qui foi aquilo…?
    ………………..Ela tava parecendo uma,….. “elfa de luz ”
    ………………………………com aquele vestido.
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………Mas o negócio tá mais prá “circo” do que pra
    …………………………………” sétima arte “,
    ……………………………………………aí,
    ………….eles acertaram chamando o Circo do soleil
    …………………………………………..né.
    …………………………….Foi a única bola dentro.
    ……………………………………………………………………………………………….
    …………….Pelo menos, sem querer, eles assumiram
    ………………………..o ” picadeiro de celébrities “.
    ……………………………………………………………………………………………….

  2. Marcelo disse:

    Calil, venho lendo seus comentários já a algum tempo, concordo com alguns discordo de outros, exatamente como deve ser a leitura de um texto de opinião.

    Porém eu gostaria que você justificasse sua escolha para o ganho da estatueta. Sinceramente fiquei muito surpreso ao notar que você entende que o Sr. Jean Dujardin seria a pessoa que deveria vencer o Oscar esse ano.

    Não vi excepcionalidade no trabalho dele no filme O Artista. Vi uma figura caricata de um tempo de filme mudo com ótimo físico. Justamente por ser um filme mudo, muito de sua interpretação veio de uma tendência teatral. Mas ainda sim não entendo sua escolha, e realmente gostaria de uma justificativa para ela, assim como pra suas outras escolhas.

    @fabio…

    Eu tento ler o que escreve, pois por muitas vezes é interessante o que têm a dizer. Porém devo alertá-lo de que esse exagero de ……. torna seu texto cansativo.

  3. Sem esquecer o delicioso Midnight in Paris, que é um mergulho nostalgico.
    Oscar virou uma rotina.
    Algumas premiaçoes se tornaram mais interessantes que o Oscars. Golden Globes ou Spirit Awards por exemplo.
    Fiquei decepcionado com a não escolha de Real in Rio. Essa canção é contagiante e melhor.

  4. fabio... disse:

    ..Marcelo..das 10:17.
    ..Obrigado pelo elogio, porém os ….
    ..é justamente para o texto ficar menos cansativo e com
    ..uma ” diagramação ” mais espaçoza.
    ..Você é o 1º que diz que é cansativo.

  5. Guiga Francisco disse:

    acho que o oscar é uma grande injustiça para que nunca ganhou. E tem filmes melhores do que aqueles que venceram. O Brasil nunca ganhou nada. Porque. Sera qu o Brasiliro não sabe fazer os filmes. Ofalta um apoio melhor. Pos temos grandes artistas Brasileiros que merece um Oscar. Fernanda Montenegro é um exemplo.

  6. ana disse:

    Calil, você acertou na mosca. O Oscar sempre foi brega e uma tremenda marmelada. Só prá citar os casos Chaplin e Hithcock, nunca premiados, só depois de velhinhos deram a eles Oscars de arrependimento. Fico feliz vendo os filme de Scorsese brilhar, o filme de Allen ser premiado, mas são poucos os momentos realmente originais na festa do Oscar.

  7. Diego disse:

    Parou de escrever? Já faz um mês que não aparece post novo. Volta aí, meu! Abraço.

    • ricardo calil disse:

      Pois é, Diego. Parei mesmo. Obrigado pela leitura. Abraços, Ricardo

Os comentários do texto estão encerrados.

Voltar ao topo